Com falta de articulação, Bolsonaro nega que Reforma da Previdência afetará os mais pobres

Com o governo tendo dificuldades de articulação política para aprovar a Reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro afirmou no Twitter que, pela proposta, "quem ganha menos pagará menos e quem ganha mais pagará mais: use a calculadora que fará as contas para você entender de modo prático"

Com falta de articulação, Bolsonaro nega que Reforma da Previdência afetará os mais pobres
Com falta de articulação, Bolsonaro nega que Reforma da Previdência afetará os mais pobres (Foto: Marcelo Camargo - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com o governo tendo dificuldades de articulação política para aprovar a Reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro afirmou no Twitter que, pela proposta, "quem ganha menos pagará menos e quem ganha mais pagará mais: use a calculadora que fará as contas para você entender de modo prático".

A proposta prevê idade mínima de 65 para homens e 62 para mulheres se aposentarem, o que ignora as diferentes expectativas de vida entre as áreas mais pobres, especialmente no campo, e as mais ricas. 

Existem duas formas de se aposentar no Brasil. Uma por idade, com a exigência de ter 65 anos (homens) e 60 anos (mulheres), com no mínimo 15 anos de contribuição. A outra é por tempo de contribuição, quando não se exige idade mínima. Neste caso são necessários 35 anos (homens) e 30 anos (mulheres) de pagamentos ao INSS. O governo quer aumentar para 40 anos.

Outro ponto polêmico é o regime de capitalização. De acordo com este modelo, o trabalhador terá de fazer uma espécie de poupança e abrir uma conta individual para depositar um percentual do salário todos os meses com o objetivo de bancar seus benefícios no futuro. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247