Comissão de Ética decide abrir processo contra Weintraub por ofensas contra Dilma e Lula

A Comissão de Ética Pública, vinculada à Presidência da República., abriu procedimento para apurar o desvio de conduta do ministro da Educação, Abraham Weintraub, por ofensas contra os ex-presidente Lula e Dilma nas redes sociais

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os ataques e ofensas do ministro da Educação, Abraham Weintraub, contra os ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula serão alvo de procedimento para apurar desvio de conduta pela Comissão de Ética Pública, vinculada à Presidência da República.

O processo foi aberto nesta terça-feira (24), após aprovação pelos seus membros e as punições previstas pela comissão têm caráter administrativo, como advertência e censura ética. Dependendo da gravidade, é possível sugerir a demissão do cargo. No entanto, o governo pode não acatar as recomendações do órgão.

O processo de apuração atende a uma representação feita pelos deputados Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente do PT, e Paulo Pimenta (PT-RS), líder da bancada do partido na Câmara.

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o conselheiro Erick Bill aponta em seu relatório que pediu esclarecimentos ao ministro e que Weintraub não só atestou a veracidade das mensagens contra os ex-presidentes, mas também ‘reforçou a conduta praticada’.

“Vale ressaltar que caberia a um deles pelo menos uma série de qualificações ainda mais contundentes, tais como bandido, criminoso, presidiário e marginal, dentre outros, e à outra, críticas ainda mais mordazes do ser chamada meramente de ´uma droga´, por meio indireto”, escreveu o ministro da Educação como resposta ao conselheiro da Comissão de Ética.

No voto, o conselheiro destaca que o Código de Ética exige que “o administrador observe o decoro inerente ao cargo”. 

“Em face de todo o exposto, tendo em vista que os fatos narrados na denúncia restaram incontroversos a partir da análise da manifestação preliminar apresentada pela própria autoridade denunciada, e considerando os padrões deontológicos atinentes à ética pública acima consignados, voto no sentido de reconhecer a existência de indícios suficientes para instaurar, em face do sr. Abraham Weintraub, Ministro de Estado da Educação, processo de apuração de prática de ato contrário aos padrões da ética pública”, diz o voto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email