Comparato: “A Justiça no Brasil é caolha”

Para o jurista Fábio Konder Comparato, "a Justiça no Brasil não é propriamente cega, como mostra o seu símbolo tradicional, mas sim caolha: ela só enxerga os interesses dos oligarcas"; na avaliação de Comparato, o Brasil não chega ao status de democracia, pois nesse regime "o povo não é mero figurante do teatro político, mas titular da soberania ou poder supremo"

Para o jurista Fábio Konder Comparato, "a Justiça no Brasil não é propriamente cega, como mostra o seu símbolo tradicional, mas sim caolha: ela só enxerga os interesses dos oligarcas"; na avaliação de Comparato, o Brasil não chega ao status de democracia, pois nesse regime "o povo não é mero figurante do teatro político, mas titular da soberania ou poder supremo"
Para o jurista Fábio Konder Comparato, "a Justiça no Brasil não é propriamente cega, como mostra o seu símbolo tradicional, mas sim caolha: ela só enxerga os interesses dos oligarcas"; na avaliação de Comparato, o Brasil não chega ao status de democracia, pois nesse regime "o povo não é mero figurante do teatro político, mas titular da soberania ou poder supremo" (Foto: Gisele Federicce)

247 – Para o jurista Fábio Konder Comparato, "a Justiça no Brasil não é propriamente cega, como mostra o seu símbolo tradicional, mas sim caolha: ela só enxerga os interesses dos oligarcas".

Na avaliação de Comparato, o Brasil não chega ao status de democracia, pois nesse regime "o povo não é mero figurante do teatro político, mas titular da soberania ou poder supremo". As declarações foram feitas em entrevista à IHU On-Line (Instituto Humanitas Unisinos - IHU).

Comparato defende "que se inicie desde logo, e se consolide, um vasto programa de educação ética em todos os níveis, reunindo as principais religiões do Brasil, a fim de que sejamos ao final capazes de rejeitar o egoísmo, que tomou conta do nosso povo, e que constitui a alma do capitalismo, como assinalou o Papa Francisco".

Leia aqui a íntegra.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247