Compra de deputados por Temer foi ainda maior: R$ 5,7 bilhões

Governo Michel Temer liberou um total de R$ 5,7 bilhões em emendas parlamentares neste ano, e não R$ 4,1 bilhões como o identificado anteriormente no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi); diferença de 33,4% (R$ 1,57 bilhão) é referente a emendas dos anos de 2015 e 2017; apesar das emendas serem impositivas, ou seja, tem que ser liberadas, isso ocorreu quando estavam em curso as negociações para blindar Temer da investigação por corrupção passiva que resultou no arquivamento da denúncia pela Câmara

Michel Temer e plenário da Câmara dos Deputados .2
Michel Temer e plenário da Câmara dos Deputados .2 (Foto: Paulo Emílio)

247 - Ao contrário do que se pensava, o governo Michel Temer liberou um total de R$ 5,7 bilhões em emendas parlamentares neste ano, e não R$ 4,1 bilhões como o identificado anteriormente no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi). A diferença de 33,4% (R$ 1,57 bilhão) é referente a emendas dos anos de 2015 e 2017.

Apesar das emendas serem impositivas, ou seja, tem que ser liberadas, isso ocorreu quando estavam em curso as negociações para blindar Temer da investigação por corrupção passiva que resultou no arquivamento da denúncia pela Câmara.

No dia 2 de agosto, o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), com os valores liberados para cada parlamentar para cobrar fidelidade de maneira que eles votassem pelo arquivamento da denúncia.

"Isso torna a ação do governo ainda mais grave e reforça a denúncia de uso de dinheiro público para obstrução parlamentar da Justiça", disse o deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ). Molon diz que deverá levar o caso à Procuradoria Geral da República (PGR).

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247