Comunicação de Lula prevê combate à fábrica de fake news bolsonarista

Estratégia prevê ainda o diálogo e acolhimento das angústias e sofrimentos do povo brasileiro

www.brasil247.com - Lula com trabalhadores
Lula com trabalhadores (Foto: Ricardo Stuckert)


Cida de Oliveira, Rede Brasil Atual - As ações de comunicações da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva deverão priorizar o combate e a neutralização da fábrica de fake news bolsonarista, que levou à vitória de Jair Bolsonaro em 2018, e ao diálogo e acolhimento das angústias e sofrimentos do povo brasileiro. É o que definiram representantes das mais de cem organizações, entre as quais partidos políticos (PT, PCdoB e PSOL), movimentos populares (MST e MTST), centrais sindicais (CUT, CTB e Intersindical), entidades de comunicação e cultura e a União Nacional dos Estudantes (UNE) – aglutinados na Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo –, reunidas na Escola Florestan Fernandes do MST, em Guararema.

Para o deputado federal e coordenador de comunicação da campanha de Lula, Rui Falcão (PT-SP), despertar esperança de que o povo brasileiro vai superar essa triste página de sua história deve ser o objetivo principal. “Vamos falar dos problemas que o Brasil enfrenta, sobre a questão econômica e como podemos voltar a ser uma grande Nação com desenvolvimento, emprego, renda, educação e cultura”, disse.

Do encontro foi produzido um documento, a Carta de Guararema, com uma série de propósitos para o sucesso da campanha, que “só logrará êxito se estivermos alertas para combater e neutralizar a engrenagem de desinformação, mentiras e fake news a serviço de Bolsonaro”. “Vamos, portanto, nos dedicar à construção de uma imensa rede de militantes e ativistas capazes de emocionar o povo com narrativas feitas daquela matéria-prima delicada que é a esperança em uma vida plena, digna, protegida por direitos. Narrativas verazes, alicerçadas na experiência viva de nosso povo”, diz trecho da carta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A comunicação mais eficaz é aquela disposta ao diálogo, à escuta, ao acolhimento das angústias e sofrimentos do povo diante da desgraça patrocinada pelo fascismo e consubstanciada de maneira atroz nos 27,4 milhões de brasileiras e brasileiros que nos últimos 6 anos foram condenados a viver em situação de pobreza extrema, ou nos 665 mil mortos pela Covid-19”, diz outro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outro ponto destacado menciona a “organização de base calçada em ideias e ações reais da comunidade”. “Não é casual que as palavras ‘comunicação’ e ‘comunidade’ tenham a mesma raiz: o que é ‘comum’, partilhado por pessoas com os mesmos interesses”.

Campanha de Lula falará com os mais distintos sotaques

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O documento recomenda também que os apoiadores de Lula contribuam com as redes de comunicação, “falando com distintos sotaques, usando diferentes gírias, fotografando com o celular que se tem à mão, registrando a resistência e a luta popular e divulgando pelas nossas redes será muito mais potente e verdadeiro do que a farsa apresentada todos os dias pela mídia corporativa”.

O apoio à candidatura Lula na base tem sido consolidado principalmente com a criação dos Comitês Populares de Luta desde fevereiro, por iniciativa do PT, MST, CUT e movimentos sociais para mobilizar todas as pessoas que estejam dispostas a contribuir para melhorar a vida do povo brasileiro. Já foram cadastrados cerca de 3 mil comitês em todo o país. A meta é chegar a 5 mil.

“No processo eleitoral, pode haver muitas mentiras. E nós vamos ter que ter muita gente contando a verdade, contrapondo essas mentiras. E vão ter muitas pessoas falando sobre o ódio. E para combater o ódio, nós temos que falar sobre o amor, sobre tranquilidade, sobre solidariedade, sobre a harmonia, sobre a família”, defendeu o diretor do Instituto Lula, Paulo Okamotto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na sua avaliação, a juventude também é foco central na formação dos comitês. “Os milhares de jovens que deram o primeiro passo, tirando o título de eleitor, agora precisam dar o segundo, que é discutir e defender o Brasil que eles querem.”

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email