Condições de resgate pioram e caem chances de localizar sobreviventes

Dois dias após a tragédia criminosa em Brumadinho (MG), as condições de resgate tiveram significante piora e nenhum sobrevivente foi encontrado; o comandante da operação do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Eduardo Angelo, disse que a chance de se localizar pessoas com vida a partir de agora é "bem pequena"; até o momento, 58 corpos foram localizados, dos quais 19 identificados. Há 305 desaparecidos e 192 resgatados

Condições de resgate pioram e caem chances de localizar sobreviventes
Condições de resgate pioram e caem chances de localizar sobreviventes (Foto: REUTERS/Washington Alves)

247 - Dois dias após a tragédia criminosa em Brumadinho (MG), as condições de resgate tiveram significante piora e nenhum sobrevivente foi encontrado. O comandante da operação do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Eduardo Angelo, disse que a chance de se localizar pessoas com vida a partir de agora é "bem pequena". Até o momento, 58 corpos foram localizados, dos quais 19 identificados. Há 305 desaparecidos e 192 resgatados.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "as buscas continuariam ao longo da noite em dois pontos: um ônibus próximo da administração da Vale e uma casa perto da pousada Nova Estância, onde foram achados três corpos. Os bombeiros informaram que não conseguiram ainda acessar o refeitório da Vale e que ele pode ter se deslocado de lugar. Ali, a profundidade da lama chega a 15 metros."

"Apesar dos esforços, o porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara, admitiu que alguns corpos podem nunca ser encontrados. 'Considerado o tipo de tragédia e as proporções, existe sim a possibilidade de alguns corpos não serem recuperados, mas não é esse o foco dos bombeiros'."

 

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247