Confira trechos do voto de Gilmar contra a mídia

O ministro do STF, Gilmar Mendes, realizou uma crítica contundente à imprensa brasileira; grande parte de seu voto foi para demarcar essa inflexão de seu discurso com relação às pressões que chegam até aquele tribunal; Cíntia Alves, em matéria especial para o Jornal GGN, relata trechos da fala de Gilmar

Brasília - Presidente do TSE, Gilmar Mendes, faz balanço dos trabalhos do tribunal e apresenta dados sobre prestações de contas de campanhas referentes às eleições municipais deste ano (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - Presidente do TSE, Gilmar Mendes, faz balanço dos trabalhos do tribunal e apresenta dados sobre prestações de contas de campanhas referentes às eleições municipais deste ano (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Gustavo Conde)

De Cíntia Alves para o GGN - Os vários "parênteses" que Gilmar Mendes fez durante o julgamento do Habeas Corpus preventivo de Lula fizeram com o ministro do Supremo Tribunal Federal tivesse a mesma performance de uma metralhadora. Foram tiros para todos os lados: contra a "mídia opressora", contra as "balelas" ditas pela força-tarefa da Lava Jato para manipular as massas, contra "estamentos" do Judiciário e do Ministério Público que foram "empoderados" na esteira da operação na Petrobras. Sobrou até para o PT, acusado de ter sido o responsável por gestar o clima de intolerância atual no País.

(...) 

MÍDIA CHANTAGISTA

"(...) não me lembro de uma mídia tão opressora, até de certa forma chantagista", retomou o ministro, citando reportagens publicadas nas últimas semanas para emparedar os ministros do Supremo. Uma delas citava a quantidade de "feriados" que a Suprema Corte tem num ano.
 
"Essa mídia opressora fez outro festival no Jornal Nacional, querendo provar minha incoerência [em relação à prisão em segunda instância]. Não tem incoerência, só responsabilidade institucional com o País", justificou Gilmar.
 
Veja mais aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247