Constrangida, PGR pede explicações ao STF sobre busca e apreensão contra Janot

A Procuradoria Geral da República ficou constrangida com a busca e apreensão contra o ex-Procurador Geral Rodrigo Janot, autorizada pelo STF. E pediu explicações à Corte

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A coluna Painel da Folha de S.Paulo informa que apesar de ter classificado como inaceitáveis as declarações de Rodrigo Janot, que confessou ter entrado armado no Supremo para assassinar o ministro Gilmar Mendes, o procurador-geral da República, Augusto Aras, não gostou da ordem de busca e apreensão em endereços do ex-colega de carreira, na sexta (27).  

“Tão logo tomou conhecimento, o doutor Aras preocupou-se muito e procurou obter informações junto ao tribunal”, narra o secretário-geral do órgão, Eitel Santiago, segundo a coluna.  Santiago classifica a fala de Janot como “desequilibrada”, mas questiona a busca e apreensão. “Ali havia apenas o relato de um fato do passado, sem a atualidade necessária para esta providência”, diz o secretário-geral do Ministério Público da União.  

“Não vou fazer críticas à atuação de ministros, mas penso que, se eu fosse um deles, e um tema dessa natureza chegasse às minhas mãos, eu cuidaria de pedir uma apuração preliminar nos órgãos encarregados das investigações”, diz.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email