Contrários ao lavajatismo, ministros do STF criticam campanha de Fux por André Mendonça

Presidente do Supremo tem pressionado o Senado com o argumento de que intervalo grande para escolha de novo magistrado prejudica a Corte

www.brasil247.com - Luiz Fux
Luiz Fux (Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF | Divulgação/TJMS)


247 - A pressão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, para que o Senado vote a indicação de André Mendonça para a Corte incomodou outros integrantes do Supremo.  

A campanha de Fux pela aprovação de Mendonça causa incômodo pelo perfil lavajatista do ex-advogado-geral da União, indicado por Jair Bolsonaro para ocupar uma cadeira no STF.

Ministros opostos ao lavajatismo receiam que uma vez no STF, Mendonça se una a magistrados derrotados para reverter o resultado de votações sobre temas que representaram derrotas para a Lava Jato, informa a jornalista Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo.

O principal revés institucional para a operação foi a derrota da possibilidade de prisão depois de condenação em segunda instância na Justiça. O placar foi apertado: 6 a 5. Mendonça poderia virar o jogo.

Um dos argumentos de Fux para apressar a votação no Senado é o desfalque na composição da Corte, que já duraria muito tempo e estaria emperrando o funcionamento do tribunal. Mendonça foi indicado por Bolsonaro em 13 de julho —ou pouco mais de dois meses. 

No governo Dilma Rousseff, a vaga de Eros Grau, que se aposentou em agosto de 2010, ficou vaga por seis meses. O indicado para ela foi justamente Luiz Fux, depois de uma disputa acirrada nos bastidores do governo e da Justiça. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email