Cortella diz que, após julgamento do TSE, ‘cai a máscara’ do Judiciário

Filósofo e escritor Mario Sergio Cortella analisa que mesmo o Judiciário brasileiro, que estava sendo visto pela população como realmente efetivo e até com alguns heróis, revelou que "também tem seus sócios" e "movimentos estranhos" depois do julgamento do TSE que absolveu Michel Temer; "Há um certo desnudamento. Cai a máscara. Nós estamos começando a enxergar como funciona na prática nossas instituições"

Filósofo e escritor Mario Sergio Cortella analisa que mesmo o Judiciário brasileiro, que estava sendo visto pela população como realmente efetivo e até com alguns heróis, revelou que "também tem seus sócios" e "movimentos estranhos" depois do julgamento do TSE que absolveu Michel Temer; "Há um certo desnudamento. Cai a máscara. Nós estamos começando a enxergar como funciona na prática nossas instituições"
Filósofo e escritor Mario Sergio Cortella analisa que mesmo o Judiciário brasileiro, que estava sendo visto pela população como realmente efetivo e até com alguns heróis, revelou que "também tem seus sócios" e "movimentos estranhos" depois do julgamento do TSE que absolveu Michel Temer; "Há um certo desnudamento. Cai a máscara. Nós estamos começando a enxergar como funciona na prática nossas instituições" (Foto: Gisele Federicce)

247 - O filósofo e escritor Mario Sergio Cortella avalia que, mesmo o Judiciário brasileiro, que estava sendo visto pela população como realmente efetivo e até com alguns heróis, revelou que "também tem seus sócios" e "movimentos estranhos".

O comentário foi uma crítica ao julgamento do Tribunal Superior Eleitoral que absolveu a chapa Dilma-Temer. Assista no vídeo acima.

"Há um certo desnudamento. Cai a máscara. Nós estamos começando a enxergar como funciona na prática nossas instituições", disse ele.

O julgamento do TSE, para Cortella, é uma situação "extremamente iluminadora de como as coisas podem ser, não de como elas devem ser", em uma crítica ao fato e o tribunal ter modificado sua decisão, entre 2015 e 2017, a respeito da aceitação das provas da Odebrecht no processo.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247