Crise teria sido contida se PGR tivesse apurado crimes da Lava Jato, diz Pimenta

"Se a PGR tivesse investigado as denúncias contra os crimes dos Golden Boys da Lava Jato e seus tentáculos, será que as coisas teriam chegado a este ponto?", indaga o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), ao comentar a crise desencadeada pelo inquérito do STF que investiga fake news e ameaças aos membros da corte; "Só eu encaminhei três vezes farta documentação que ela ignorou solenemente", lembrou

Crise teria sido contida se PGR tivesse apurado crimes da Lava Jato, diz Pimenta
Crise teria sido contida se PGR tivesse apurado crimes da Lava Jato, diz Pimenta
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Paulo Pimenta, líder da bancada do PT na Câmara, comentou sobre a crise entre o Supremo Tribunal Federal e o Ministério Público na análise sobre o inquérito aberto pelo presidente de Corte, ministro Dias Toffoli, para apurar fake news e ameaças contra membros do Supremo.

"Se a PGR tivesse investigado as denúncias contra os crimes dos Golden Boys da Lava Jato e seus tentáculos, será que as coisas teriam chegado a este ponto? Só eu encaminhei três vezes farta documentação que ela ignorou solenemente", lembrou o deputado em sua página no Twitter, se referindo às ações que pediam a apuração contra os abusos cometidos pelos procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Pimenta destaca ainda que os documentos que foram apresentados pelo ex-advogado da Odebrecht, Rodrigo Tacla Duran à PGR também foram ignorados. "A indústria das delações e suas relações com o criminoso esquema das fake news foram ignorados. As sucessivas provas de abuso de autoridade e vazamentos seletivos contra todos que não são cúmplices da Lava Jato também", reforçou.

"Então se a PGR não investiga os possíveis crimes e o STF também não, quem pode e vai investigar os crimes da Lava Jato e suas relações suspeitas de financiamento e propaganda? Pelos procuradores eles próprios jamais serão investigados de nada. Pelo Moro também não. O que fazer?", indagou.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email