Cristiane Brasil é inscrita no Banco Nacional de Devedores Trabalhistas

Deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), que seria nomeada como Ministra do Trabalho, além de ter a suspensão de sua nomeação como ministra confirmada pela Justiça, foi inscrita no Banco Nacional de Devedores Trabalhistas (BNDT); inscrição se deve ao fato de que ela ainda não pagou a indenização de R$ 60 mil a um ex-funcionário, que moveu uma ação trabalhista contra a parlamentar

Deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), que seria nomeada como Ministra do Trabalho, além de ter a suspensão de sua nomeação como ministra confirmada pela Justiça, foi inscrita no Banco Nacional de Devedores Trabalhistas (BNDT); inscrição se deve ao fato de que ela ainda não pagou a indenização de R$ 60 mil a um ex-funcionário, que moveu uma ação trabalhista contra a parlamentar
Deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), que seria nomeada como Ministra do Trabalho, além de ter a suspensão de sua nomeação como ministra confirmada pela Justiça, foi inscrita no Banco Nacional de Devedores Trabalhistas (BNDT); inscrição se deve ao fato de que ela ainda não pagou a indenização de R$ 60 mil a um ex-funcionário, que moveu uma ação trabalhista contra a parlamentar (Foto: Paulo Emílio)

Revista FórumA deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), que seria nomeada como Ministra do Trabalho, acaba de sofrer mais um revés. Nesta terça-feira (8), além de ter a suspensão de sua nomeação como ministra confirmada pela Justiça, a filha de Roberto Jefferson foi inscrita no Banco Nacional de Devedores Trabalhistas (BNDT). A inscrição, publicada há pouco pela Justiça do Trabalho, se deve ao fato de que ela ainda não pagou a indenização de R$60 mil a um ex-funcionário, que moveu uma ação trabalhista contra a parlamentar.

A decisão da Justiça Federal de suspender sua nomeação como ministra, inclusive, se deve à sua condenação.

Nesta segunda-feira (8), a deputada federal solicitou o parcelamento da dívida e, por isso, seus bens ainda não serão bloqueados pela Justiça.

Fernando Fernandes, que era motorista de Cristiane Brasil, informou no processo que trabalhava para a deputada e sua família cerca de 15 horas por dia, sem registro em carteira.

Quanto à sua nomeação à ministra do Trabalho, a Advocacia-Geral da União informou que vai entrar com novo recurso, desta vez no Supremo Tribunal Federal.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247