Dallagnol cita a si mesmo 7 vezes nas alegações finais de ação contra Lula

Procurador Deltan Dallagnol, que atua na força-tarefa da Operação Lava Jato, inovou mais uma vez na ação judicial sobre o triplex atribuído ao ex-presidente Lula, desta feita ao citar ele mesmo como fonte bibliográfica de suas argumentações; em suas alegações finais, apresentadas ao juiz Sérgio Moro, o procurador-chefe da Lava Jato citou sete vezes textos próprios, com o intuito de dar sustentação a seus argumentos e convicções

Brasília - O Procurador da República, coordenador da Força Tarefa do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol
Brasília - O Procurador da República, coordenador da Força Tarefa do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol (Foto: Paulo Emílio)

Do site de Lula - O procurador Deltan Dallagnol, que acusou Lula na imprensa com um power point mas não apareceu em nenhuma das mais de 70 oitivas de testemunhas do processo do tríplex no Guarujá, inovou mais uma vez na mesma ação judicial, desta feita ao citar ele mesmo como fonte bibliográfica de suas argumentações.

Em suas alegações finais, apresentadas ao juiz Sérgio Moro na última sexta-feira, o procurador-chefe da Lava Jato citou sete vezes textos próprios, com o intuito de dar sustentação a seus argumentos e convicções, chegando ao requinte de autocitar-se duas vezes na mesma página..

Citar juristas e autores em peças processuais é prática comum no mundo jurídico. Serve para mostrar que não é apenas aquele que escreve quem concorda com as teses apresentadas. No caso em questão, Dallagnol citou Dallagnol para provar que Dallagnol estava certo. Veja abaixo as imagens das citações do procurador em suas alegações finais.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247