Dallagnol pega carona na investigação de Janot sobre Aécio

Em uma palestra feita a cirurgiões plásticos em São Paulo, o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, fez referência indireta à investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para rebater críticas de parcialidade da operação; "Nós éramos os golpistas, não é? Agora nós somos os golpistas dos golpistas? Eu fico confuso. Os casos recentes deixaram claro que as investigações não são contra partido A ou contra partido B", disse

Em uma palestra feita a cirurgiões plásticos em São Paulo, o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, fez referência indireta à investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para rebater críticas de parcialidade da operação; "Nós éramos os golpistas, não é? Agora nós somos os golpistas dos golpistas? Eu fico confuso. Os casos recentes deixaram claro que as investigações não são contra partido A ou contra partido B", disse
Em uma palestra feita a cirurgiões plásticos em São Paulo, o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, fez referência indireta à investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para rebater críticas de parcialidade da operação; "Nós éramos os golpistas, não é? Agora nós somos os golpistas dos golpistas? Eu fico confuso. Os casos recentes deixaram claro que as investigações não são contra partido A ou contra partido B", disse (Foto: Gisele Federicce)

Paraná 247 - O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, fez referência indireta à investigação contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) para rebater críticas de parcialidade da operação durante uma palestra a cirurgiões plásticos em São Paulo.

"Nós éramos os golpistas, não é? Agora nós somos os golpistas dos golpistas? Eu fico confuso. Os casos recentes deixaram claro que as investigações não são contra partido A ou contra partido B", disse Dallagnol, na fala que durou mais de uma hora, segundo relato do Globo.

Dallagnol também disse que "o Brasil está desfigurado". "Ele precisa de uma cirurgia reconstrutiva. E eu acho que vim no lugar certo", afirmou, apelando aos trocadilhos ao pedir apoio dos médicos e médicas no combate à corrupção no Brasil.

Aécio passou a ser investigado após denúncias feitas pelos donos da JBS, em delação premiada. O senador tucano, já afastado de suas funções, foi gravado pedindo R$ 2 milhões em propina ao empresário Joesley Batista. Sua irmã e seu primo estão presos.

O pedido de prisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o próprio senador será julgado pelo Supremo Tribunal Federal no próximo dia 20.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247