Damares diz que não tem “dever algum” de construir Memorial da Anistia

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse que não tem “dever algum” de investir recursos públicos na construção do Memorial da Anistia, que teve suas obras canceladas na UFMG em agosto deste ano

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse que não tem “dever algum” de investir recursos públicos na construção do Memorial da Anistia, que teve suas obras canceladas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em agosto deste ano. A resposta foi dada ao Ministério Público Federal após o órgão questionar a descontinuidade das obras. Informação é da coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, publicada nesta segunda-feira (16).

Utilizando metáforas, o documento de Damares enviado ao MPF acrescenta que a construção de um Memorial da Anistia é “contraditória nos seus termos”, já que anistia “significa ‘esquecimento’”. “Um Memorial da Anistia seria algo como o Memorial do Esquecimento”, diz o texto.

A previsão era de que o memorial, criado por decreto em 2009, fosse finalizado até 2014

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email