Damares diz que não tem obrigação de construir Memorial da Anistia

O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, afirmou que não tem “dever algum” de investir recursos públicos na construção de um Memorial da Anistia. A pasta cancelou as obras de um museu na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna na Folha de S.Paulo

(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, afirmou que não tem “dever algum” de investir recursos públicos na construção de um Memorial da Anistia. A pasta cancelou as obras de um museu na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna na Folha de S.Paulo. 

A declaração é uma resposta ao Ministério Público Federal após o órgão questionar a descontinuidade das obras.   

O documento enviado ao MPF acrescenta que a construção de um Memorial da Anistia é “contraditória nos seus termos”, já que anistia “significa ‘esquecimento’”. “Um Memorial da Anistia seria algo como o Memorial do Esquecimento”, diz o texto.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247