DCM: o Brasil não pode ser governado por um miliciano

"A família Bolsonaro enriqueceu na política com um discurso em que elogiava a ditadura e torturadores, e, ao mesmo tempo, abrigava criminosos em gabinetes públicos", diz o jornalista Joaquim de Carvalho, no Diario do Centro do Mundo

DCM: o Brasil não pode ser governado por um miliciano
DCM: o Brasil não pode ser governado por um miliciano (Foto: Wilson Dias - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Um presidente que vivia no meio de marginais. A frase, dita pelo jurista Afrânio Silva Jardim, ecoa quando se assiste ao vídeo com o discurso de Jair Bolsonaro em Davos", diz o jornalista Joaquim de Carvalho, no Diario do Centro do Mundo. "A família Bolsonaro enriqueceu na política com um discurso em que elogiava a ditadura e torturadores, e, ao mesmo tempo, abrigava criminosos em gabinetes públicos".

O jornalista reforça que "a mãe e a mulher de Adriano Magalhães, ex-capitão do Bope e suspeito de liderar o 'Escritório do Crime', eram assessoras de Flávio Bolsonaro". "Ao mesmo tempo, Flávio e o pai defendiam  de suas tribunas os milicianos, que, ao contrário do que ele dizem, não são bem-vistos nas comunidades, pela truculência e por cobrar por serviços que deveriam ser públicos", afirma Carvalho. "A figura de Bolsonaro evoca gritos de dor, gemidos, sangue, cadáveres encontrados na periferia ou em vielas de comunidade, no rastro deixado por homens que servem a uma organização que aceita receber dinheiro para matar seres humanos".

Leia a íntegra no DCM

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247