Defensores públicos se solidarizam com presidente da OAB

"A consolidação da democracia brasileira requer que as autoridades públicas resgatem a memória e a verdade, bem como velem pela dignidade de todos aqueles que sofreram com o abuso do poder estatal", afirmam defensores públicos, após Jair Bolsonaro agredir verbalmente o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz

(Foto: Eugenio Novaes/Divulgação)

247 - O Colégio Nacional de Defensores Públicos Gerais prestou nesta segunda-feira (29) solidariedade ao presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, sobre as declarações do presidente Jair Bolsonaro. 

"A consolidação da democracia brasileira requer que as autoridades públicas resgatem a memória e a verdade, bem como velem pela dignidade de todos aqueles que sofreram com o abuso do poder estatal", afirmam os defensores públicos. O relato foi publicado no Blog do Fausto Macedo

Bolsoanro havia dito: "Se o presidente da OAB quiser saber como o pai desapareceu no período militar eu conto para ele". O chefe do Planalto praticamente defendeu sua execução, fazendo apologia de um crime cometido pelo Estado brasileiro.

O Colégio Nacional de Defensores Públicos Gerais recomenda "que os representantes dos poderes e demais instituições façam os debates políticos, quando necessário, mas de forma cortês, sem jamais usar como estratégia argumentativa declarações que escarnecem da dor pessoal alheia, ainda mais quando esta dor resulta de abusos do próprio Estado". 

"O respeito entre as instituições e as pessoas é a base da democracia e o que legitima a própria existência da República".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247