Defesa de advogado acusado de ameaçar ministros diz que STF nega acesso ao inquérito

"Nem durante o regime militar era negado o direito do advogado ter acesso ao inquérito de uma investigação. Em qual regime jurídico o advogado não tem acesso? No regime de exceção", afirmou o advogado de defesa de Adriano Argolo, Cláudio Jaeger Nicootti; Argolo foi alvo de ação de busca e apreensão no inquérito aberto pelo STF que investiga ameaças contra membros da Corte

Defesa de advogado acusado de ameaçar ministros diz que STF nega acesso ao inquérito
Defesa de advogado acusado de ameaçar ministros diz que STF nega acesso ao inquérito

247 - O advogado Adriano Argolo, alvo de ação de busca e apreensão no inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga ameaças contra membros da Corte, prestou depoimento na segunda-feira (8), ma até agora seu advogados não tiveram acesso ao inquérito.

"Nem durante o regime militar era negado o direito do advogado ter acesso ao inquérito da investigação. Em qual regime jurídico o advogado não tem acesso? No regime de exceção", afirmou o advogado de defesa de Argolo, Cláudio Jaeger Nicootti.

Segundo ele, Argolo foi interrogado sem saber ao certo quais são as acusações que o Supremo tem contra ele, o que, segundo a defesa, configura no cerceamento da defesa.

No dia 21 de março último, a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de Argolo por ordem do ministro Alexandre de Moraes. O celular e o computador do advogado foi apreendido pelos policiais federais por conta de acusações sobre supostas ameaças que teria feito contra ministros por meio de uma página no Facebook.

Em entrevista à TV 247, Argolo afirmou  que nunca teve perfil no Facebook. "Fizeram uma denúncia caluniosa contra mim e o STF engoliu. Invadiram a minha casa, minha filha está traumatizada, com acusações contra a minha pessoa. Vou lutar contra o que fizeram comigo", enfatizou.

A defesa aponta que a conta é fake e o IP não é de Argolo. "Todas as acusações contra mim eu provei que foram falsas. Os posts ameaçadores ao ministros do Supremo Tribunal Federal e aos familiares do ministro Toffoli foram feitas pelo Facebook. Eu simplesmente não tenho Facebook, nunca tive Facebook", reforçou.

Confira a entrevista de Argolo à TV  247 e entenda o caso: ]


 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247