Defesa de ex-conselheiros confirma explicação de Dilma sobre Pasadena

As declarações dos advogados dos executivos Cláudio Haddad e Fábio Barbosa, que eram conselheiros da Petrobras à época em que a compra da refinaria de Pasadena foi aprovada, encaminharam ao Tribunal de Contas da União (TCU) argumentos que confirmam o que a presidente deposta Dilma Rousseff disse sobre o assunto; Dilma acusou o ex-diretor Nestor Cerveró de conluio para prejudicar a estatal

Defesa de ex-conselheiros confirma explicação de Dilma sobre Pasadena
Defesa de ex-conselheiros confirma explicação de Dilma sobre Pasadena (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

247 - Conselheiros da Petrobras à época em que a compra da refinaria de Pasadena foi aprovada, os executivos Cláudio Haddad e Fábio Barbosa encaminharam ao Tribunal de Contas da União (TCU) argumentos bastante semelhantes aos que foram apresentados pela ex-presidente Dilma Rousseff.

A ex-presidente afirmou que o conselho de administração da estatal foi vítima de um "conluio fraudulento" entre integrantes da diretoria Internacional da Petrobras e executivos da Astra Oil, da qual Pasadena foi adquirida.

O advogado Marcelo Beltrão da Fonseca, que integra a equipe de defesa de Haddad, disse ao Valor que os fatos narrados pelos advogados de Dilma são verdadeiros e que compõem o cerne do que o executivo apresentou ao TCU.

"Nossa linha de defesa é a verdade, e o que a defesa da ex-presidente afirmou é verdadeiro. O relatório que o TCU usou para amparar seu acórdão, feito pela consultoria Muse Stancil, jamais foi apresentado aos integrantes do conselho", disse o advogado de Haddad.

O relatório mencionado atribuiu um valor de US$ 186 milhões para os 50% da refinaria de Pasadena, adquiridos em fevereiro de 2006 pela Petrobras. A estatal pagou US$ 359 milhões por metade da refinaria americana, com base em uma avaliação do Citigroup.

As informações são de reportagem de Murillo Camarotto no Valor.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247