Defesa de Lula contesta Lava Jato sobre conversas omitidas do STF

Em manifestação ao STF, a defesa de Lula refuta os argumentos da Lava Jato sobre as conversas grampeadas do ex-presidente com autoridades: “Diálogos foram omitidos porque mostravam um cenário totalmente diferente daquele que as autoridades de Curitiba sustentaram”, diz a petição dos advogados

(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A coluna Painel da Folha de S.Paulo informa que a defesa do ex-presidente Lula se dirigiu ao STF para rebater os argumentos do juiz da Lava Jato em Curitiba, Luiz Antonio Bonat, sobre conversas do petista com autoridades que foram interceptadas pela PF mas ficaram de fora do processo.  

Bonat disse, em explicação que fere o bom senso e não convence nunguém, que o material era irrelevante para a investigação.  

Os advogados de Lula dizem que a análise da relevância cabia à própria corte, porque antes da conversa com a então presidente Dilma Rousseff, Lula havia falado com o então vice-presidente Michel Temer, com deputados e senadores –todos com prerrogativas de foro, aponta a coluna.  

Para a defesa de Lula, a Lava Jato escondeu os demais diálogos porque eles apontavam exatamente o contrário do que afirmavam as teses punitivistas dos procuradores e do juiz. 

“Diálogos foram omitidos porque mostravam um cenário totalmente diferente daquele que as autoridades de Curitiba sustentaram”, diz a petição dos advogados do ex-presidente Lula.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email