Defesa de Lula reafirma veracidade de recibos de aluguel

Defesa do ex-presidente Lula reforçou que os recibos de aluguéis do apartamento vizinho ao que ele mora em São Bernardo do Campo (SP), são verdadeiros e, portanto, o incidente de falsidade deve ser rejeitado; "Assinaturas constantes dos recibos são autênticas, lançadas pelo senhor Glaucos, em diferentes estados de saúde", diz um trecho da alegação da defes; veracidade dos documentos teria sido atestado por uma perícia particular

Ex-presidente Lula participa da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Ex-presidente Lula participa da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)

247 - Os advogados de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçaram que os recibos de aluguéis do apartamento vizinho ao que ele mora em São Bernardo do Campo (SP), são verdadeiros e, portanto, o incidente de falsidade deve ser rejeitado.

A declaração da defesa está contida nas alegações finais do processo que apura a autenticidade dos recibos. O apartamento é alvo de uma ação penal contra Lula no âmbito da Operação Lava Jato. De acordo com o imóvel teria sido adquirido por Glaucos Costamarques por meio de repasses da empreiteira Odebrecht. O apartamento teria sido repassado a Lula como uma espécie de pagamento indevido após a empreiteira ter conseguido uma ´serie de contratos junto a Petrobras.

"As assinaturas constantes dos recibos são autênticas, lançadas pelo senhor Glaucos, em diferentes estados de saúde", diz um trecho da alegação da defesa. A veracidade dos documentos teria sido atestado por uma perícia particular. Os recibos assinados estão em nome de Costamarques. Os advogados de Lula também apresentaram à Justiça a cópia do contrato de aluguel, firmado entre o empresário e a ex-primeira-dama Marisa Letícia, já falecida.

Para a força-tarefa da Operação Lava Jato, porém, os recibos são ideologicamente falsos. "Diante das constantes alterações de discurso e as diferentes versões apresentadas por Glaucos da Costamarques que, na condição de corréu– e agindo como se delator fosse – tem todo o interesse de corroborar a versão apresentada pelo Ministério Público, somada ao fato de que mesmo suas mais recentes declarações trazem contradições internas, resta irrefutável a constatação de que sua palavra não deve ser tida como prova", dizem os advogados de Lula no documento.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247