Defesa diz que Lula cumpre requisitos para Casa Civil

Advogado Cristiano Zanin reiterou ao STF que impedir o ex-presidente Lula de tomar posse como ministro-chefe da Casa Civil não tem respaldo constitucional; a Corte deverá julgar na próxima quarta mandados que questionam o decreto de nomeação; caso o Supremo impeça a nomeação, as investigações sobre ele na Lava Jato deverão ser reassumidas pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba; "A única coisa que não consigo admitir é que o Supremo seja menos capaz de conduzir as investigações. No mais, o ex-presidente não é réu em nenhuma ação penal", disse

Advogado Cristiano Zanin reiterou ao STF que impedir o ex-presidente Lula de tomar posse como ministro-chefe da Casa Civil não tem respaldo constitucional; a Corte deverá julgar na próxima quarta mandados que questionam o decreto de nomeação; caso o Supremo impeça a nomeação, as investigações sobre ele na Lava Jato deverão ser reassumidas pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba; "A única coisa que não consigo admitir é que o Supremo seja menos capaz de conduzir as investigações. No mais, o ex-presidente não é réu em nenhuma ação penal", disse
Advogado Cristiano Zanin reiterou ao STF que impedir o ex-presidente Lula de tomar posse como ministro-chefe da Casa Civil não tem respaldo constitucional; a Corte deverá julgar na próxima quarta mandados que questionam o decreto de nomeação; caso o Supremo impeça a nomeação, as investigações sobre ele na Lava Jato deverão ser reassumidas pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba; "A única coisa que não consigo admitir é que o Supremo seja menos capaz de conduzir as investigações. No mais, o ex-presidente não é réu em nenhuma ação penal", disse (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O advogado Cristiano Zanin reiterou nesta segunda-feira ao STF que impedir o ex-presidente Lula de tomar posse como ministro-chefe da Casa Civil não tem respaldo constitucional.

"Nós mostramos que os mandados de segurança deverão ser rejeitados por contrariar posicionamento firme e sólido do Supremo sobre as matérias discutidas", defendeu Zanin.

A Corte deverá julgar na próxima quarta mandados que questionam o decreto de nomeação. Caso o Supremo impeça a nomeação, as investigações sobre ele na Lava Jato deverão ser reassumidas pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba. "A única coisa que não consigo admitir é que o Supremo seja menos capaz de conduzir as investigações. No mais, o ex-presidente não é réu em nenhuma ação penal", disse o advogado.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247