Delator de Mantega, Eike não deve ser preso pela PF

O Ministério Público informou nesta quinta-feira 22, dia em que é deflagrada a Operação Arquivo X, 34ª fase da Lava Jato, que o empresário Eike Batista prestou depoimento em que declarou ter recebeu um pedido, em novembro de 2012, de um então ministro e presidente do Conselho de Administração da Petrobras para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões ao PT; naquele ano, quem ocupava o cargo era Guido Mantega, que foi preso hoje; por esse motivo, Eike, que já foi o homem mais rico do Brasil e agora é delator, não deve ser preso

O Ministério Público informou nesta quinta-feira 22, dia em que é deflagrada a Operação Arquivo X, 34ª fase da Lava Jato, que o empresário Eike Batista prestou depoimento em que declarou ter recebeu um pedido, em novembro de 2012, de um então ministro e presidente do Conselho de Administração da Petrobras para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões ao PT; naquele ano, quem ocupava o cargo era Guido Mantega, que foi preso hoje; por esse motivo, Eike, que já foi o homem mais rico do Brasil e agora é delator, não deve ser preso
O Ministério Público informou nesta quinta-feira 22, dia em que é deflagrada a Operação Arquivo X, 34ª fase da Lava Jato, que o empresário Eike Batista prestou depoimento em que declarou ter recebeu um pedido, em novembro de 2012, de um então ministro e presidente do Conselho de Administração da Petrobras para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões ao PT; naquele ano, quem ocupava o cargo era Guido Mantega, que foi preso hoje; por esse motivo, Eike, que já foi o homem mais rico do Brasil e agora é delator, não deve ser preso (Foto: Gisele Federicce)

247 – O Ministério Público Federal informou nesta quinta-feira 22, dia em que é deflagrada a Operação Arquivo X, 34ª fase da Lava Jato, que o empresário Eike Batista prestou depoimento aos investigadores.

O ex-presidente do Conselho de Administração da OSX declarou ter recebido um pedido, no dia 1º de novembro de 2012, de um então ministro e presidente do Conselho de Administração da Petrobras para que fizesse um repasse de R$ 5 milhões ao PT.

Naquele ano, quem ocupava o cargo era Guido Mantega, que foi preso temporariamente hoje pela Polícia Federal. Segundo Eike, foram repassados R$ 2,35 milhões via contrato falso com uma empresa de publicidade. Mantega é acusado de intermediar caixa 2. Por esse depoimento, que levou à prisão de Mantega, Eike não deve ser preso.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247