Delator envolve bilionário da Saúde na Lava Jato

Empresário Leonardo Meirelles, sócio do Labogen, empresa investigada na Operação Lava Jato, afirma que diretor do Ministério da Saúde favoreceu o EMS em negócio de R$ 134 milhões; o maior laboratório do país, com faturamento de R$ 3,4 bilhões em 2014, pertence ao empresário Carlos Sanchez, o “bilionário dos genéricos”, que produz no Brasil os genéricos do Viagra, marca que pertence à gigante Pfizer

Empresário Leonardo Meirelles, sócio do Labogen, empresa investigada na Operação Lava Jato, afirma que diretor do Ministério da Saúde favoreceu o EMS em negócio de R$ 134 milhões; o maior laboratório do país, com faturamento de R$ 3,4 bilhões em 2014, pertence ao empresário Carlos Sanchez, o “bilionário dos genéricos”, que produz no Brasil os genéricos do Viagra, marca que pertence à gigante Pfizer
Empresário Leonardo Meirelles, sócio do Labogen, empresa investigada na Operação Lava Jato, afirma que diretor do Ministério da Saúde favoreceu o EMS em negócio de R$ 134 milhões; o maior laboratório do país, com faturamento de R$ 3,4 bilhões em 2014, pertence ao empresário Carlos Sanchez, o “bilionário dos genéricos”, que produz no Brasil os genéricos do Viagra, marca que pertence à gigante Pfizer (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Delator da Lava Jato, o empresário Leonardo Meirelles, sócio do Labogen, envolveu o bilionário dos medicamentos genéricos Carlos Sanchez, no esquema.

Em depoimento à Polícia Federal, ele afirmou o diretor de Produção Industrial e de Inovação do ministério da Saúde, Eduardo Jorge Valadares Oliveira, colocou o EMS, laboratório de Sanchez, na parceria que o Labogen tinha com o ministério, um negócio que renderia R$ 134,4 milhões.

O EMS é o maior laboratório do país, com faturamento de R$ 3,4 bilhões em 2014, que produz no Brasil os genéricos do Viagra, marca que pertence à gigante Pfizer.

Meirelles também relatou que a atuação do ex-deputado federal André Vargas (ex-PT-PR) foi decisiva para que o Labogen conseguisse a parceria. Ele foi preso na última sexta-feira. 

Considerado o mais influente empresário do Brasil, Sanchez foi o primeiro a apostar no ramo dos genéricos. Sua empresa engloba ainda as marcas Germed e Legrand e selou recentemente um acordo com Hypermarcas, Aché e União Química para a criação do Bionovis, o chamado "superlaboratório nacional".

Leia aqui reportagem de Mario Cesar Carvalho sobre o assunto.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247