"Deltan Dallagnol estabeleceu ligação clandestina com autoridades dos EUA", diz advogado Marco Aurélio de Carvalho

O jurista Marco Aurélio de Carvalho analisou o teor das mensagens que comprovam o conluio da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Lula. Para ele, Dallagnol e Moro ignoraram o procedimento legal e estabeleceram ligações clandestinas com autoridades estrangeiras. Assista

(Foto: Ju/SDM.ABC.ORG, desemprego/agenciabrasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - No Boa Noite 247, o jurista Marco Aurélio de Carvalho analisou o teor das mensagens entre o ex-juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, que comprovam a parcialidade na condução do processo contra o ex-presidente Lula e o conluio com autoridades estrangeiras, de forma inteiramente clandestina.

Para Marco Aurélio, é claro o conluio com autoridades norte-americanas: “Na página quatro do arquivo, que tem 50 páginas, tem um diálogo onde o Deltan diz: ‘Hoje falei com eles (autoridades dos Estados Unidos) sobre as contas da Odebrecht para ver se fazem algo’”, diz.

“Veja a gravidade disso. É o procurador reconhecendo diante da provocação do ex-juiz que estava estabelecendo um relacionamento clandestino com autoridades dos Estados Unidos”, explica o jurista.

Ele ainda detalha a ilegalidade da cooperação: “No Brasil, precisa-se de autorização do Departamento de Recuperação de Ativos, que é ligado ao Ministério da Justiça, para celebrar esse tipo de colaboração. Mas o que eles reconhecem aqui é que esses contatos foram clandestinos e incentivados pelo juiz que na verdade deveria ter agido para afastar o procurador”, diz.

Inscreva-se na TV 247, seja membro e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email