Depois da Renca, ambientalistas travarão nova batalha com Temer

Sem ainda terminar o embate com o governo Temer sobre a reserva do cobre no Amapá, cuja regulamentação de exploração de minérios recebeu até reação internacional e de artistas, os ambientalistas pretendem agora brigar contra a lei que regulamenta o transporte de cargas; o deputado Alfredo Sirkis (PSB-RJ), ambientalista militante, entende que o Ministério da Indústria e Comércio está sendo camarada com a indústria na definição das prioridades do programa Rota 2030, conjunto de normas governamentais sobre o tema

alfredo sirkis
alfredo sirkis (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Sem nem terminar o embate com o governo Temer sobre a reserva do cobre no Amapá, cujo decreto que regulamenta a exploração de minérios no local recebeu até reação internacional e de artistas, os ambientalistas pretendem agora brigar contra a lei que regulamenta o transporte de cargas. 

O deputado Alfredo Sirkis (PSB-RJ), ambientalista militante, entende que o Ministério da Indústria e Comércio está sendo camarada com a indústria na definição das prioridades do programa Rota 2030, conjunto de normas governamentais sobre o tema, informa a jornalista Sonia Racy em sua coluna neste domingo 3.

O deputado argumenta que até a Índia já está avançando em planos para trocar, até 2030, toda a sua frota para carros elétricos. Enquanto isso, a lei do Brasil, com tantas concessões, segundo ele, vai "criar uma reserva de mercado de carros poluentes".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247