Depois de 1,5 milhão de hectares queimados, governo federal libera R$ 3,8 milhões para conter fogo no MS

Há expectativa de que seja anunciado ainda um envio de verba ao Mato Grosso, estado também atingido pelas queimadas na região pantaneira. O fogo já atingiu todos os 79 municípios do Mato Grosso do Sul

Rogério Marinho e Jair Bolsonaro
Rogério Marinho e Jair Bolsonaro (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo federal deve anunciar em breve a liberação de R$ 3,8 milhões ao Mato Grosso do Sul para auxiliar nas ações de combate aos incêndios que destroem o Pantanal. A informação foi dada pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, à Renata Agostini, da CNN.

Deve acontecer ainda um envio de verba ao Mato Grosso, estado também atingido fortemente pelas queimadas na região pantaneira.

Em edição extra do Diário Oficial do Estado, o governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), diz que o fogo já atingiu todos os 79 municípios do estado e já queimou mais de 1.450.000 hectares.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247