Depois de 13 dias de motim, tropas retomam controle de Alcaçuz

Homens do Grupo de Operações Especiais do Governo do Rio Grande do Norte e da Força de Nacional de Intervenção Penitenciária entraram nas dependências da penitenciária de Alcaçuz, a maior do Estado, para tentar por fim à rebelião que dura 13 dias e já deixou 26 detentos mortos; batizada de Phoenix, a operação conseguiu retomar o controle dos pavilhões; agentes deverão, ainda fazer inspeções e varreduras no local para identificar itens proibidos, como drogas, armas e telefones celulares

Polícia invade penitenciária de Alcaçuz (RN) após 13 dias de motim que resultaram em 26 mortes
Polícia invade penitenciária de Alcaçuz (RN) após 13 dias de motim que resultaram em 26 mortes (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Homens do Grupo de Operações Especiais do Governo do Rio Grande do Norte e da Força de Nacional de Intervenção Penitenciária entraram nas dependências da penitenciária de Alcaçuz, a maior do Estado, para tentar por fim à rebelião que dura 13 dias e já deixou 26 detentos mortos. Batizada de Phoenix, a operação foi iniciada nesta sexta-feira (27), e o controle dos pavilhões já teria sido retomado pelas forças de segurança. Os agentes deverão, ainda fazer inspeções e varreduras no local para identificar itens proibidos, como drogas, armas e telefones celulares.

Ação em Alcaçuz é a primeira na qual os membros da força-tarefa de intervenção penitenciária têm participação. Força-tarefa foi criada após a série de rebeliões em penitenciárias que teve começou no ano novo. Em Alcaçuz, a penitenciária foi divida em duas seções para evitar que membros de facções rivais voltem a entrar em confronto. Ao todo, mais de 200 foram transferidos desde o início do motim. Em todo o país mais de 130 detentos foram assassinados em motins e rebeliões desde o início do ano.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email