Depois de cortar Bolsa Família, governo diz que dará aumento em 2018, ano eleitoral

Ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, disse que a previsão, agora, é ajustar o valor do programa social acima da inflação no ano que vem, quando haverá eleição para presidente da República; "Deve ser algo acima da inflação que vai ter lá pelo mês de março e abril. Terá um ganho real para repor parte da perda de 2014 e 2015", disse

Brasília - O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, fala à imprensa sobre o aumento para o Bolsa Família, após cerimônia no Palácio do Planalto (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília - O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, fala à imprensa sobre o aumento para o Bolsa Família, após cerimônia no Palácio do Planalto (José Cruz/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo do presidente Michel Temer dará aumento real no benefício do programa Bolsa Família em 2018, ano eleitoral, disse nesta segunda-feira o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra.

Ele lembrou que no ano passado houve um ajuste no valor do Bolsa Família depois de dois anos de congelamento em um período de inflação alta. A previsão, agora, é ajustar o valor do programa social acima da inflação, mas o percentual ainda está em discussão com as a área econômica do governo.

"Teve um anúncio de orçamento em 31 de agosto que foi feito sem a nova meta fiscal e sem ter visão clara de como ficaria a receita. Depois melhorou... e acredito que vamos ter orçamento maior do que ano passado", disse ele a jornalistas em evento no Rio de Janeiro.

"Acabamos com a fila que havia no Bolsa Família, aumentamos o valor do Bolsa Família para o próximo ano em inflação e mais um pouco. Deve ser algo acima da inflação que vai ter lá pelo mês de março e abril. Terá um ganho real para repor parte da perda de 2014 e 2015", acrescentou.

O ministro ressaltou que o orçamento da pasta deve ficar em 91 bilhões de reais, ante mais de 80 bilhões de reais. Osmar Terra minimizou o fato de o ajuste no programa social ocorrer em pleno ano eleitoral para escolha de presidente, governadores, deputados e senadores.

"Pode dar reajuste. Sempre foi dado. Inclusive, os maiores reajustes do Bolsa Família foram dados no governo anterior era tudo em ano eleitoral. Temos que dar reajuste e temos que ter caixa para isso", frisou.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247