Depois de incêndio no Museu Nacional, Bolsonaro disse que 'não fazia milagres'

O presidente Jair Bolsonaro se solidarizou com os franceses pelo incêndio na catedral de Notre-Dame; durante a campanha eleitoral no ano passado, entretanto, reagiu com indiferença em relação ao incêndio que destruiu completamente o Museu Nacional, no Rio de Janeiro; "Já pegou fogo, você quer que eu faça o que?", respondeu Bolsonaro na época

Depois de incêndio no Museu Nacional, Bolsonaro disse que 'não fazia milagres'
Depois de incêndio no Museu Nacional, Bolsonaro disse que 'não fazia milagres' (Foto: Marcos Corrêa/PR)

247 - Rápido em prestar sua solidariedade ao povo francês pelo incêndio que atingiu a Catedral de Notre Dame na tarde desta segunda-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não teve a mesma presteza à época do incêndio que devastou o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, em setembro de 2018.

"Já pegou fogo, você quer que eu faça o que?", respondeu o presidente a uma jornalista que havia questionado sobre o tamanho da tragédia causada pelo incêndio. "Meu nome é Messias, mas eu não sei fazer milagre", completou.

O então candidato à presidência aproveitou também, na oportunidade, para atacar os partidos de esquerda. “A administração toda é de gente filiada ao PSOL e ao PCdoB. A indicação política leva a isso. Os partidos se aproveitam, vendem seu voto aqui dentro [da Câmara] como regra para que a administração seja deficitária e lucrativa para eles, individualmente”, afirmou.

Hoje, Bolsonaro demorou menos de duas horas depois da tragédia para se solidarizar com a França.

"Em nome dos brasileiros, manifesto profundo pesar pelo terrível incêndio que assola um dos maiores símbolos da cultura e da espiritualidade cristã e ocidental, a catedral de Notre-Dame, em Paris. Neste momento sombrio, as nossas orações estão com o povo francês", escreveu Bolsonaro no Twitter.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247