Deputado e delegado simula prisão de Lula

Nas ruas centrais de Belém (PA), um grupo de 80 manifestantes ligados ao PT e a partidos de esquerda reagiu à encenação e gritou palavras de ordem contra o deputado federal Eder Mauro (PSD-PA), chamando-o de "fascista"; segundo dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Pará e da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), além de integrantes do PT e de partidos comunistas, as manifestações representaram a mobilização da "direita e reacionários" que apoiaram o golpe militar de 1964 e que agora querem dar outro golpe, mais uma vez "rasgando a Constituição"

Nas ruas centrais de Belém (PA), um grupo de 80 manifestantes ligados ao PT e a partidos de esquerda reagiu à encenação e gritou palavras de ordem contra o deputado federal Eder Mauro (PSD-PA), chamando-o de "fascista"; segundo dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Pará e da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), além de integrantes do PT e de partidos comunistas, as manifestações representaram a mobilização da "direita e reacionários" que apoiaram o golpe militar de 1964 e que agora querem dar outro golpe, mais uma vez "rasgando a Constituição"
Nas ruas centrais de Belém (PA), um grupo de 80 manifestantes ligados ao PT e a partidos de esquerda reagiu à encenação e gritou palavras de ordem contra o deputado federal Eder Mauro (PSD-PA), chamando-o de "fascista"; segundo dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Pará e da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), além de integrantes do PT e de partidos comunistas, as manifestações representaram a mobilização da "direita e reacionários" que apoiaram o golpe militar de 1964 e que agora querem dar outro golpe, mais uma vez "rasgando a Constituição" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Eder Mauro (PSD-PA), que também é delegado de polícia licenciado, simulou a prisão do ex-presidente Lula durante a manifestação contra o governo nas ruas centrais de Belém (PA) na manhã deste domingo.

Um grupo de 80 manifestantes ligados ao PT e a partidos de esquerda reagiu à encenação e gritou palavras de ordem contra o deputado, chamando-o de "fascista".

Segundo dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Pará e da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), além de integrantes do PT e de partidos comunistas, as manifestações representam a mobilização da "direita e reacionários" que apoiaram o golpe militar de 1964 e que agora querem dar outro golpe, mais uma vez "rasgando a Constituição".

A Polícia Militar formou um cordão de isolamento entre os grupos pró e contra o impeachment, evitando confronto físico.

Leia aqui na reportagem de Carlos Mendes sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email