Deputado que quebrou placa de Marielle ameaça STF por decisão sobre 2ª instância

Deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) usou uma frase do deputado Eduardo Bolsonaro - que disse que para fechar o STF bastavam um cabo e um soldado - para ameaçar a Corte. “Se precisar de um cabo, estou a disposição”, postou nas redes sociais

Dep. Daniel Silveira (PSL - RJ)
Dep. Daniel Silveira (PSL - RJ) (Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), que quebrou a placa que fazia homenagem à vereadora Marielle no ano passado, foi às redes sociais na madrugada desta sexta-feira (8) para expressar sua indignação com a decisão do STF de derrubar as prisões após segunda instância e de abrir caminho para a liberdade do ex-presidente Lula. O deputado ainda se ofereceu, como policial militar, para uma possível intervenção no Supremo.

“STF é a vergonha do Brasil… Defensores da CF? Defensores do crime!”, escreveu Silveira. “Se precisar de um cabo, estou a disposição”, continuou, em tom de ameaça ao Supremo.

Em outro tuíte, o deputado publicou uma foto sua como policial militar ao lado de mais dois colegas durante operação na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. “Relembrar é viver… nesta época, tirei muitos vagabundos das ruas, apreendi, prendi, garanti viagens ao inferno… sempre dentro da legalidade, é claro… agora vem o STF e joga meu trabalho e de todos os outros policiais no lixo e envergonha o Brasil”, desabafou o ex-PM.

Leia a íntegra na Revista Fórum

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email