"Descrença" e "chacota" foram as reações dos diplomatas do Itamaraty sobre a indicação de Eduardo

No Itamaraty, a informação de que o presidente Jair Bolsonaro vai indicar o próprio filho, Eduardo Bolsonaro, para ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos foi recebida com reações que variaram da descrença à chacota

(Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A informação dada pelo próprio presidente Jair Bolsonaro da indicação de seu filho Eduardo Bolsonaro para ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos foi recebida por membros do Itamaraty com reações que variaram da descrença à chacota.

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, um embaixador experiente afirmou que a imagem externa de um Brasil submisso às vontades dos EUA de Donald Trump será intensificada.

Outros consideraram que Eduardo deverá teleguiar as decisões relativas às Nações Unidas, sendo uma espécie de "bedel" dos diplomatas brasileiros em Nova York, especialmente em assuntos como direitos humanos, questões de gênero, desigualdade e temas indígenas. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247