Dilma: não existiu nem existirá plano B para o PT; não somos algozes de Lula

Dilma Roussef afirmou em seu discurso no 24º encontro anual Foro de São Paulo, em Havana (Cuba) neste domingo que não existe "plano B" para as eleições presidenciais: “Não temos plano B porque Lula é inocente. Não vamos ser os algozes de Lula e retirá-lo da eleição”. 

Dilma: não existiu nem existirá plano B para o PT; não somos algozes de Lula
Dilma: não existiu nem existirá plano B para o PT; não somos algozes de Lula (Foto: Fotos: Ricardo Stuckert)

247 - A ex-presidente Dilma Roussef afirmou em seu discurso no 24º encontro anual Foro de São Paulo, em Havana (Cuba) neste domingo (16)  que não existe "plano B" para as eleições presidenciais: “Não temos plano B porque Lula é inocente. Não vamos ser os algozes de Lula e retirá-lo da eleição”. 

No evento, que reúne em Cuba partidos de esquerda, de centro-esquerda e movimentos sociais de todo o mundo, Dilma afirmou que a oposição ao PT “não pode deixar Lula participar das eleições” porque o ex-presidente “ganharia no primeiro turno”. A ex-presidente, no entanto, afirmou mesmo preso há mais de cem dias Lula continua líder nas pesquisas de intenção de voto. “Lula preso é a presença mais forte na conjuntura brasileira”, disse. “Temos que colocar o projeto de Lula nas urnas”, afirmou.

O PT irá registrar a pré-candidatura do ex-presidente no dia 15 de agosto, prazo máximo determinado pela Justiça Eleitoral.

Dilma voltou a afirmar que a prisão de Lula é a terceira fase do “golpe” que começou com seu impeachment, em 2016. A ex-presidente lembrou que há uma semana o petista quase foi solto por uma decisão do juiz Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o que foi impedido por uma manobra ilegal de Sérgio Moro: “[Moro] cometeu um gravíssimo crime ao não cumprir a determinação da Justiça e ao não obedecer a hierarquia judicial. Mostraram até que ponto estão dispostos a chegar”, afirmou. “Foi um strip-tease Judiciário e político, tirando todas as máscaras”, disse

Também em Cuba, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que o Judiciário tem agido politicamente para manter o ex-presidente preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. “100 dias de Lula preso. 100 dias de uma injustiça. Qual é a prova? Que crime cometeu Lula para estar preso? A tentativa de soltá-lo com base em uma argumentação justa e correta ficou frustrada. Parte do Judiciário expressiva mostrou que tem lado nessa disputa. Politizou o processo”, afirmou Gleisi, em vídeo divulgado pela internet (veja aqui na TV 247, ou abaixo). A dirigente reforçou que o partido “não vai desistir” da candidatura do ex-presidente.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247