Dilma rebate acusações de Joesley e diz que 'a verdade virá à tona'

Dilma Rousseff rebateu as acusações feitas pelo empresário Joesley Batista, do grupo JBS, que em entrevista à revista Veja disse ter "conversado coisa errada com Dilma"; por meio de nota, Dilma disse que "jamais tratou ou solicitou de qualquer empresário, nem de terceiros, doações, pagamentos ou financiamentos ilegais para as campanhas eleitorais tanto em 2010 quanto em 2014, fosse para si ou quaisquer outros candidatos", Dilma também negou possuir contas no exterior e que " rejeita delações sem provas ou indícios"; "A verdade vira à tona", finaliza o texto  

Ex-presidente Dilma Rousseff durante evento no Uruguai. 04/11/2016 REUTERS/Andres Stapff
Ex-presidente Dilma Rousseff durante evento no Uruguai. 04/11/2016 REUTERS/Andres Stapff (Foto: Paulo Emílio)

247 - A presidente eleita e afastada Dilma Rousseff rebateu as acusações feitas pelo empresário Joesley Batista, do grupo JBS, que em entrevista à revista veja disse ter "conversado coisa errada com Dilma". Por meio de nota, Dilma disse que "jamais tratou ou solicitou de qualquer empresário, nem de terceiros, doações, pagamentos ou financiamentos ilegais para as campanhas eleitorais tanto em 2010 quanto em 2014, fosse para si ou quaisquer outros candidatos".

No texto, Dilma também nega ter contas no exterior e que "nunca autorizou, em seu nome ou de terceiros, a abertura de empresas em paraísos fiscais" e que "nunca teve contato com empresários em que tenham tratado ou falado de doações de caráter ilegal ou quaisquer outra espécie de ilegalidade"

O texto acaba com ela afirmando que "rejeita delações sem provas ou indícios. A verdade vira à tona".

Leia a íntegra da nota.

Mais uma vez, a propósito das notícias a respeito das delações e declarações do empresário Joesley Batista, a Assessoria de Imprensa da presidenta eleita Dilma Rousseff esclarece que são improcedentes e inverídicas as afirmações do empresário:

1. Dilma Rousseff jamais tratou ou solicitou de qualquer empresário, nem de terceiros, doações, pagamentos ou financiamentos ilegais para as campanhas eleitorais, tanto em 2010 quanto em 2014, fosse para si ou quaisquer outros candidatos.

2. Dilma Rousseff jamais teve contas no exterior. Nunca autorizou, em seu nome ou de terceiros, a abertura de empresas em paraísos fiscais. Reitera que jamais autorizou quaisquer outras pessoas a fazê-lo.

3. Dilma Rousseff nunca teve contato com empresários em que tenham tratado ou falado de doações de caráter ilegal ou quaisquer outra espécie de ilegalidade.

4. Mais uma vez, Dilma Rousseff rejeita delações sem provas ou indícios. A verdade vira à tona.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247