Dilma vai manter Cardozo e chefe da PF no cargo

Apesar da reforma ministerial para o segundo mandato, presidente decidiu que manterá no posto, em plena deflagração da Operação Lava Jato, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello; avaliação é de que qualquer mudança no comando de uma área tão estratégica para o momento deixaria dúvidas sobre como lidar com o tema ou dar margem à interpretação de que o Planalto tenta interferir na investigação

Apesar da reforma ministerial para o segundo mandato, presidente decidiu que manterá no posto, em plena deflagração da Operação Lava Jato, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello; avaliação é de que qualquer mudança no comando de uma área tão estratégica para o momento deixaria dúvidas sobre como lidar com o tema ou dar margem à interpretação de que o Planalto tenta interferir na investigação
Apesar da reforma ministerial para o segundo mandato, presidente decidiu que manterá no posto, em plena deflagração da Operação Lava Jato, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello; avaliação é de que qualquer mudança no comando de uma área tão estratégica para o momento deixaria dúvidas sobre como lidar com o tema ou dar margem à interpretação de que o Planalto tenta interferir na investigação (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Em meio à troca da maioria dos 39 ministros no segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff decidiu manter no posto o titular da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello.

O motivo tem a ver com a maior investigação contra a corrupção dos últimos tempos no Brasil, a Operação Lava Jato. A interpretação é que não se deve mexer no comando de uma área tão estratégia para a ação neste momento.

Outra avaliação é de que o Planalto, caso troque os nomes do comando, esteja tentando interferir na investigação, discurso que o governo sempre fez de forma oposta, ressaltando que sempre apoiou o desmantelamento da organização criminosa que agia na Petrobras.

Cardozo também tem atuado como bom defensor do governo no que diz respeito a denúncias, por exemplo, de que dinheiro proveniente do esquema teria sido injetado na campanha da presidente Dilma Rousseff.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247