Dinheiro na Suíça pagou curso de inglês da enteada de Cunha

Uma das contas secretas do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Suíça, foi usada para bancar despesas de uma enteada do peemedebista, Ghabriela Amorim, filha da jornalista Cláudia Cruz, atual mulher do deputado; a informação consta de extratos bancários remetidos pela Suíça ao Brasil e que embasam novo inquérito contra Cunha no STF; US$ 52,4 mil foram transferidos da conta Kopec – aberta no Banco Julius Baer e que teria Cláudia Cruz como beneficiária final – para uma conta atribuída a Ghabriela no banco inglês Lloyds TSB; os repasses foram feitos entre 29 de agosto de 2008 e 7 de abril de 2009, mesmo período em que ela estudou na Malvern School, escola de inglês no interior da Inglaterra

Bras�lia - Entrevista com o presidente da C�mara dos Deputados Eduardo Cunha, que fala sobre o Impeachment da presidenta Dilma (Antonio Cruz/Ag�ncia Brasil)
Bras�lia - Entrevista com o presidente da C�mara dos Deputados Eduardo Cunha, que fala sobre o Impeachment da presidenta Dilma (Antonio Cruz/Ag�ncia Brasil) (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Uma das contas secretas do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Suíça, foi usada para bancar despesas de uma enteada do peemedebista, Ghabriela Amorim, filha da jornalista Cláudia Cruz, atual mulher do deputado. A informação consta de extratos bancários remetidos pela Suíça ao Brasil e que embasam novo inquérito contra o deputado, em curso no Supremo Tribunal Federal.

Conforme os demonstrativos, US$ 52,4 mil foram transferidos da conta Kopec – aberta no Banco Julius Baer e que teria Cláudia Cruz como beneficiária final – para uma conta atribuída a Ghabriela no banco inglês Lloyds TSB. Os repasses foram feitos entre 29 de agosto de 2008 e 7 de abril de 2009, mesmo período em que ela estudou na Malvern School, escola de inglês no interior da Inglaterra. Numa rede social, a própria Ghabriela informa ter feito curso na instituição no período dos depósitos. Da conta de Cláudia também saíram US$ 8,4 mil para a Malvern, em 14 de maio de 2008.

Nos extratos pelo menos três transferências para a enteada de Cunha foram identificados como “nosso pagamento enviado para Ghabriela Amorim”. O primeiro, de 8,9 mil libras, foi feito em 29 de agosto de 2008. Os outros foram de US$ 14,3 mil, em 6 de janeiro de 2009, e de US$ 14,9 mil de 7 de abril do mesmo ano. 

A Kopec, uma das quatro contas atribuídas a Cunha e sua mulher, foi aberta em janeiro de 2008 e, conforme a Procuradoria-Geral da República, servia para bancar despesas pessoais e de cartão de crédito da família do deputado. Além do curso de Ghabriela, os recursos bancaram também aulas numa escola de tênis e um MBA de Danielle da Cunha, filha do peemedebista, na Espanha.

Conforme os documentos remetidos pela Suíça à Procuradoria, Cunha justificou que pretendia fundar uma empresa “para os filhos” ao abrir uma outra conta bancária no exterior, em nome de terceiros.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247