Diretor da PF diz a Barroso ter sido ‘mal interpretado’

O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, trocou mensagens de texto com o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que havia determinado que Segovia se explicasse em relação a uma blindagem a Michel Temer em entrevista à Reuters; o delegado solicitou uma audiência - marcada para o dia 19 - para se explicar e afirmou ter sido "mal interpretado" na declaração sobre o inquérito dos portos

O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, trocou mensagens de texto com o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que havia determinado que Segovia se explicasse em relação a uma blindagem a Michel Temer em entrevista à Reuters; o delegado solicitou uma audiência - marcada para o dia 19 - para se explicar e afirmou ter sido "mal interpretado" na declaração sobre o inquérito dos portos
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, trocou mensagens de texto com o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que havia determinado que Segovia se explicasse em relação a uma blindagem a Michel Temer em entrevista à Reuters; o delegado solicitou uma audiência - marcada para o dia 19 - para se explicar e afirmou ter sido "mal interpretado" na declaração sobre o inquérito dos portos (Foto: Gisele Federicce)

247 - O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, trocou mensagens de texto neste sábado 10 com o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que havia determinado que Segovia se explicasse em relação a uma blindagem a Michel Temer em entrevista à Reuters.

Segundo a Folha, o diretor da PF solicitou uma audiência - marcada para o dia 19 de fevereiro - para se explicar e afirmou ter sido "mal interpretado" na declaração que deu, sobre o inquérito dos portos. Na entrevista, Segovia disse que há uma tendência na PF em arquivar o inquérito que investiga Temer.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247