“Diretoria da Propina” respondia diretamente a Marcelo Odebrecht

O Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, conhecido como a “Diretoria da Propina”, respondia ao presidente afastado do grupo Marcelo Odebrect; em depoimento ao juiz Sérgio Moro nesta quarta (20), o gerente de recursos humanos da Odebrecht, Paulo de Sousa Sabiá, afirmou que Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho era o líder do setor e respondia diretamente a Marcelo Odebrecht; é a primeira vez que um funcionário da construtora, que não é alvo da Lava-Jato, aponta uma ligação direta do executivo com a "Diretoria da Propina"

O Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, conhecido como a “Diretoria da Propina”, respondia ao presidente afastado do grupo Marcelo Odebrect; em depoimento ao juiz Sérgio Moro nesta quarta (20), o gerente de recursos humanos da Odebrecht, Paulo de Sousa Sabiá, afirmou que Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho era o líder do setor e respondia diretamente a Marcelo Odebrecht; é a primeira vez que um funcionário da construtora, que não é alvo da Lava-Jato, aponta uma ligação direta do executivo com a "Diretoria da Propina"
O Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, conhecido como a “Diretoria da Propina”, respondia ao presidente afastado do grupo Marcelo Odebrect; em depoimento ao juiz Sérgio Moro nesta quarta (20), o gerente de recursos humanos da Odebrecht, Paulo de Sousa Sabiá, afirmou que Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho era o líder do setor e respondia diretamente a Marcelo Odebrecht; é a primeira vez que um funcionário da construtora, que não é alvo da Lava-Jato, aponta uma ligação direta do executivo com a "Diretoria da Propina" (Foto: Valter Lima)

247 - O Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, conhecido como a “Diretoria da Propina”, respondia ao presidente afastado do grupo Marcelo Odebrect. Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o gerente de recursos humanos da Odebrecht, Paulo de Sousa Sabiá, afirmou que Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho era o líder do setor e respondia diretamente a Marcelo Odebrecht. É a primeira vez que um funcionário da construtora, que não é alvo da Lava-Jato, aponta uma ligação direta do executivo com a "Diretoria da Propina". Sabiá foi uma das testemunhas ouvidas nesta quarta-feira (20) pelo juiz Sérgio Moro.

Ele afirmou ainda ao juiz que o setor funcionava como uma estrutura normal dentro da empresa: "Era uma estrutura como todas as demais da organização. Não tinha nada que, eventualmente, fosse diferente de outra estrutura". O Setor de Operações Estruturadas funcionou com uma estrutura profissional de pagamentos sistemáticos de propina no Brasil e no exterior, segundo a Lava-Jato. Somente em duas contas ligadas a esse setor paralelo, estima-se em R$ 91 milhões os pagamentos suspeitos.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247