Dodge teria se aliado a Barroso para evitar excesso de protagonismo da PF

A guinada de Raquel Dodge ao pedir a prisão dos operadores de Michel Temer pode ter sido motivada pela aproximação do ministro Luís Roberto Barroso com a Polícia Federal; para que a PGR não perdesse protagonismo, Dodge teria decidido se mexer

Dodge teria se aliado a Barroso para evitar excesso de protagonismo da PF
Dodge teria se aliado a Barroso para evitar excesso de protagonismo da PF (Foto: Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A decisão da procuradora-geral, Raquel Dodge, de pedir a prisão dos amigos de Michel Temer estimulou uma série de teorias.

Integrantes do universo jurídico dizem que o ministro Luís Roberto Barroso pode ter estimulado a guinada ao abrir um canal direto com a PF. Para que a PGR não perdesse protagonismo, ela teria decidido se mexer.

Indagados sobre a atitude de Dodge, aliados de Michel Temer recorrem a uma metáfora para compará-la ao ex-procurador-geral Rodrigo Janot: “A cabeça do MPF mudou, mas o corpo é o mesmo”.

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247