Doria diz ser contra CPMF e que vai orientar bancada a votar contra

Depois de apoiar o governo na reforma da Previdência, o governador tucano João Doria (PSDB-SP) disse que vai orientar a bancada paulista a votar contra qualquer iniciativa de um tributo aos moldes da antiga CPMF e mandou um recado ao ministro Paulo Guedes: "Não terá meu apoio para nenhuma aprovação de nenhum novo imposto no âmbito federal"

Jair Bolsonaro e João Doria
Jair Bolsonaro e João Doria (Foto: Marcos Correa/PR)

247 - O governador tucano de São Paulo, João Doria (PSDB), informou ao governo Jair Bolsonaro que vai orientar a bancada paulista na Câmara e no Senado a votar contra qualquer proposta de recriar um imposto aos moldes da antiga CPMF.

"Reafirmo minha confiança e respeito ao ministro Paulo Guedes mas novo imposto a resposta da bancada federal de São Paulo na Câmara e no Senado será não", garantiu Doria, sendo a primeira vez que se manifesta contra a uma medida do governo Bolsonaro na área econômica. 

Na votação da reforma da Previdência, o tucano foi um dos maiores defensores, mas desde então a lua de mel acabou, reforçando o fim da chapa BolsoDoria - aliança que começou já no primeiro turno das eleições de 2018, em detrimento do candidato do seu partido, Geraldo Alckmin.

Em uma live nas redes sociais, Bolsonaro disse que Doria "mamou nas tetas" dos governos do PT e citou o financiamento de um helicóptero.

Doria, por sua vez, tenta demonstrar distância ao criticar a indicação de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), deputado federal e filho do presidente, como embaixador do país nos EUA. Ele também repeliu os ataques contra Michelle Bachelet, comissária de Direitos Humanos da ONU e ex-presidente do Chile.

"Não terá meu apoio para nenhuma aprovação de nenhum novo imposto no âmbito federal. O Brasil não precisa de mais impostos, mas de boa gestão, criatividade, eficiência, efeito transformador do estado. O mais fácil é criar ou aumentar imposto", cutucou o tucano.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247