'É algo que pode acontecer', diz Moro sobre fuzilamento no Rio

"Foi um incidente bastante trágico. É algo que pode acontecer", justificou o ministro da Justiça e da Segurança Pública Sérgio Moro em entrevista ao programa Conversa com Bial, da Rede Globo, ao falar sobre a ação do Exército que alvejou com 80 tiros de fuzil um carro que estava com uma família, levando à morte do músico Evaldo Rosa

'É algo que pode acontecer', diz Moro sobre fuzilamento no Rio
'É algo que pode acontecer', diz Moro sobre fuzilamento no Rio

Sul21 - Na terça-feira (9), o Ministro da Justiça e da Segurança Pública Sérgio Moro foi o entrevistado na estreia da nova temporada do Conversa com Bial, programa semanal da Rede Globo. A entrevista, que já havia sido gravada, precisou ser atualizada em conversa remota após um carro ter sido alvejado com 80 tiros, no domingo (7) por militares do exército. O crime levou à morte o músico Evaldo Rosa. "Foi um incidente bastante trágico. É algo que pode acontecer. De imediato, o exército começou a apurar esse fato. Tem que apurar. Se houve ali um incidente injustificável em qualquer espécie, as pessoas têm que ser punidas", disse.

Questionado sobre o seu pacote anticrime, em que o ministro trata de "violenta emoção" para justificar legítima defesa, Sérgio Moro disse que o caso dos 80 tiros nada teve a ver com o seu pacote. "Havendo uma situação de legítima defesa, se há o excesso, esse pode ser atenuado pela situação de violenta emoção. Mas não me parece o caso em questão", esclareceu.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247