‘É errado confundir insatisfação com Dilma com apoio a impeachment’

Para Renato Meirelles, presidente do Instituto Data Popular, "não se pode colocar a estabilidade do país abaixo do interesse político"; "Ainda que as pessoas estejam insatisfeitas com o Governo elas se perguntam qual é o real interesse de um impeachment. É um erro confundir quem está insatisfeito com o Governo com apoio à saída da Dilma", afirma ele, em entrevista ao El País

Para Renato Meirelles, presidente do Instituto Data Popular, "não se pode colocar a estabilidade do país abaixo do interesse político"; "Ainda que as pessoas estejam insatisfeitas com o Governo elas se perguntam qual é o real interesse de um impeachment. É um erro confundir quem está insatisfeito com o Governo com apoio à saída da Dilma", afirma ele, em entrevista ao El País
Para Renato Meirelles, presidente do Instituto Data Popular, "não se pode colocar a estabilidade do país abaixo do interesse político"; "Ainda que as pessoas estejam insatisfeitas com o Governo elas se perguntam qual é o real interesse de um impeachment. É um erro confundir quem está insatisfeito com o Governo com apoio à saída da Dilma", afirma ele, em entrevista ao El País (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Para o presidente do Data Popular, Renato Meirelles, "é um erro" confundir insatisfação com o governo da presidente Dilma Rousseff com o apoio a sua saída do Palácio do Planalto. O instituto de pesquisas é especializado em nova classe média, negros, favelas, mulheres, jovens e consumo da classe C.

"A decisão do futuro do país está na mão de uma briga de torcida e o brasileiro percebe isso. Não se pode colocar a estabilidade do país abaixo do interesse político. Ainda que as pessoas estejam insatisfeitas com o Governo elas se perguntam qual é o real interesse de um impeachment. É um erro confundir quem está insatisfeito com o Governo com apoio à saída da Dilma", declarou, em entrevista ao El País.

De acordo com Meirelles, as classes C e D "não têm as manifestações deste ano", que pediram o impeachment da presidente Dilma e foram organizadas por grupos anti-governo, como o Movimento Brasil Livre e o Revoltados On-Line, "como referência". Esse grupo, segundo ele, se lembram com mais facilidades dos protestos de 2013, que mobilizou o País todo.

"Pensar no que levou as pessoas a reelegerem este Governo é fundamental pra entender o que a população quer e acredita. E o Governo tinha que ter aprendido. Por outro lado, a oposição tinha que refletir em como ela conseguiu perder uma eleição em que 71% queriam mudança. O que também não é uma coisa trivial...", avalia Meirelles.

Leia aqui a íntegra da entrevista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email