"É impor o terror como instrumento de controle", diz Debora Diniz sobre ataques contra Greenwald

A antropóloga Debora Diniz disse que as ações contra o jornalista do The Intercept, Grenn Greenwald não podem ser chamadas de "protestos", pois se trata de uma tentativa de "intimidação"

Debora Diniz diz que Weintraub mente sobre bolsas
Debora Diniz diz que Weintraub mente sobre bolsas (Foto: Comunicação/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A antropóloga Debora Diniz chamou de tentativa de "intimidação" os ataques contra o jornalista Glenn Greenwald durante a participação dele em debate na Feira Literária de Paraty.

O jornalista, responsável pela série de reportagens do The Intercept que revelaram o conluio de Sergio Moro com produradores para condenar o ex-presdente Lula, foi alvo de ataques de apoiadores de Moro, que soltaram até fogos de artifício para fazer barulho.

"Não é “protesto” impedir alguém de transitar em público ou apresentar suas ideias em eventos — é intimidação e silenciamento. Isso é impor o terror como instrumento de controle ou autocensura", escreveu Debora Diniz em sua página nas redes sociais, ao comentar uma pastagem de Jena Wyllys.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247