"É impor o terror como instrumento de controle", diz Debora Diniz sobre ataques contra Greenwald

A antropóloga Debora Diniz disse que as ações contra o jornalista do The Intercept, Grenn Greenwald não podem ser chamadas de "protestos", pois se trata de uma tentativa de "intimidação"

Debora Diniz diz que Weintraub mente sobre bolsas
Debora Diniz diz que Weintraub mente sobre bolsas (Foto: Comunicação/STF)

247 - A antropóloga Debora Diniz chamou de tentativa de "intimidação" os ataques contra o jornalista Glenn Greenwald durante a participação dele em debate na Feira Literária de Paraty.

O jornalista, responsável pela série de reportagens do The Intercept que revelaram o conluio de Sergio Moro com produradores para condenar o ex-presdente Lula, foi alvo de ataques de apoiadores de Moro, que soltaram até fogos de artifício para fazer barulho.

"Não é “protesto” impedir alguém de transitar em público ou apresentar suas ideias em eventos — é intimidação e silenciamento. Isso é impor o terror como instrumento de controle ou autocensura", escreveu Debora Diniz em sua página nas redes sociais, ao comentar uma pastagem de Jena Wyllys.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247