“É possível torcer pela seleção sem esquecer da luta contra a crise”

"Considero saudável esse aparente descaso com a Copa do Mundo e aposto que, na hora dos jogos, a torcida pela seleção brasileira vai ser intensa e apaixonada como sempre foi" diz o deputado federal Chico D'Angelo (PDT-RJ); para ele, "é possível assistir a Copa, torcer pela seleção, se integrar apaixonadamente ao jogo, sem esquecer-se da luta contra a crise, o desgaste das instituições, o desmonte do patrimônio público brasileiro e as ameaças aos direitos dos trabalhadores"

torcida brasil
torcida brasil (Foto: Paulo Emílio)

247 - "Considero saudável esse aparente descaso com a Copa do Mundo e aposto que, na hora dos jogos, a torcida pela seleção brasileira vai ser intensa e apaixonada como sempre foi" escreve o deputado federal Chico D'Angelo (PDT-RJ) em Carta Capital. "O pouco entusiasmo é a prova de que o futebol está longe de ser uma diversão alienante da política do pão e circo. Não foi o uso espúrio do triunfo da seleção em 1970 que sustentou a ditadura militar. Foram os tanques de guerra e a repressão brutal, como ressaltou João Saldanha, o técnico que comandou o time nas eliminatórias para a Copa e foi afastado pouco antes do Mundial", destaca.

Para ele, "é possível assistir a Copa, torcer pela seleção, se integrar apaixonadamente ao jogo, sem esquecer-se da luta contra a crise, o desgaste das instituições, o desmonte do patrimônio público brasileiro, as ameaças aos direitos dos trabalhadores, o descalabro do desabastecimento que assombrou o país, o abandono de um projeto soberano de nação, as escusas transações que envolveram recentemente a própria CBF. O amor pelo futebol é um patrimônio do povo brasileiro".

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247