Arruda Botelho sobre diálogos entre Moro e procuradores: “e se fosse pela guarda do seu filho?”

“Esquece o Lula”, diz o advogado em vídeo, ao comentar as novas conversas da Lava Jato. Ele compara o processo a um caso de guarda de filho, após um divórcio, em que uma das partes descobre que o juiz é amigo do advogado da outra parte

Advogado Augusto de Arruda Botelho
Advogado Augusto de Arruda Botelho (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Inconformado, o advogado Augusto de Arruda Botelho gravou um vídeo para comentar os diálogos do ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro e de procuradores da força-tarefa de Curitiba, tornados públicos após decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que retirou sigilo dessas conversas.

“Não há crime grave o suficiente que justifique essa forma de agir”, postou o advogado no Twitter. No vídeo, ele diz que “é surreal que a Justiça brasileira tenha virado isso”.

“Tem muita gente que acha normal o juiz falar com a parte. Não, não é, gente. Eu tenho amigos juízes, na hora de tratar um processo em que você seja parte, isso não acontece”, lamentou.

“Esquece o Lula”, diz depois o advogado, que compara o processo a um caso de guarda de filho, após um divórcio, em que uma das partes descobre que o juiz é amigo do advogado da outra parte.

“É nojento, é revoltante. Como a Justiça e o MPF podem ter sido palco de algo assim?”, escreveu ele em outra postagem.

Assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email