Eduardo Bolsonaro compara com prostituição recebimento de recursos para Amazônia

O deputado Eduardo Bolsonaro, que seu pai quer emplacar como embaixador nos Estados Unidos, comparou à prostituição o recebimento pelo Brasil de recursos do Fundo Amazônia. "Vamos ficar acertando Fundo Amazônia e continuar se prostituindo por causa disso?"

O deputado federal Eduardo Bolsonaro
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (Foto: Paola De Orte/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado Eduardo Bolsonaro, que seu pai quer emplacar como embaixador nos Estados Unidos, comparou à prostituição o recebimento pelo Brasil de recursos do Fundo Amazônia. "Vamos ficar acertando Fundo Amazônia e continuar se prostituindo por causa disso?" , destaca em sua edição desta sexta-feira (30) o jornal O Globo.  

O deputado também comparou a região amazônica a uma mulher bonita a quem alguém quer "pagar um drink". "A Amazônia, essa mulher tão bonita e outro cara vai lá, pisca para ela, quer pagar um drink para ela, não posso achar que esse drink está sendo pago de graça, né?"  

Foi com essas vilgaridades que o filho de Jair Bolsonaro respondeu aos jornalistas quando questionado sobre o motivo de o governo brasileiro declinar o auxílio financeiro de US$ 20 milhões oferecido pelo G7 nesta semana.  

Nesta sexta-feira (30), Eduardo Bolsonaro acompanhado pelo ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, se encontra em Washington com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.  

Ao anunciar a viagem nesta quinta-feira, Jair Bolsonaro escreveu: "Eduardo Bolsonaro daqui a pouco viaja para os Estados Unidos. Vai se encontrar com o Donald Trump. Eu quero agradecer publicamente aqui o senhor Donald Trump, a sua defesa do Brasil por ocasião do encontro do G7".  

O governo Bolsonaro segue a orientação estratégica de submeter os ingteresses do Brasil aos Estados Unidos governado por Trump.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247