Eduardo Bolsonaro relaciona morte de voluntário em teste de vacina a 'homicídio'

“Quem por ventura tivesse embarcado na mesma onda que Dória, neste momento seria acusado de homicídio pelo governador paulista. Alguma dúvida?", postou o deputado federal Eduardo Bolsonaro nas redes sociais

Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro (Foto: Jane de Araújo/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Eduardo Bolsonaro usou as redes sociais para criticar a vacona CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac e o Instituto Butantan, e relacionar diretamente o imunizante contra a Covid-19 à morte de um voluntário. “Quem por ventura tivesse embarcado na mesma onda que Dória, neste momento seria acusado de homicídio pelo governador paulista. Alguma dúvida?”, postou o parlamentar. 

Declaração de Eduardo foi feita pouco após Jair Bolsonaro comemorar a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária que suspendeu a realização dos testes clínicos da CoronaVac. Nesta terça-feira (10), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, voltou a negar que a morte do voluntário tenha alguma ligação com os testes da vacina.

Eduardo também compartilhou um tuíte do grupo “Médicos pela Liberdade”, formado por profissionais de saúde que apoiam o governo Bolsonaro, que diz que a “vacinação compulsória com uma vacina experimental é uma insanidade criminosa”. Na postagem, o grupo ataca diretamente o que chama de vacina “da China/Doria [governador de São Paulo, João Doria (PSDB)]. 

Confira a postagem de Eduardo Bolsoanro sobre o assunto. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247