Educafro vai à Justiça contra Sérgio Camargo, que chamou movimento negro de “escória maldita”

Revista Fórum - A Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes (Educafro) apresentou nesta quarta-feira (3) uma representação no Ministério Público Federal (MPF) contra o presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, por crime de racismo e ofensa à legislação.

O pedido de ação penal tem como base áudios vazados de Camargo nos quais ele diz, em reunião com auxiliares, que não vai destinar um centavo para terreiros, em referência aos locais usados para cerimônias de religiões de matriz africana.

“Não vai ter nada para terreiro na Palmares, enquanto eu estiver aqui dentro. Nada. Zero. Macumbeiro não vai ter nem um centavo”, disse Camargo, em um trecho do áudio. Na mesma gravação, ele classificou o movimento negro como “escória maldita” e xingou Zumbi de Palmares.

Leia mais na Fórum.

Receber notificações do Brasil 247. Inscreva-se.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Leia também:

Técnicos do Inpe denunciam desmonte e estrutura paralela de gestão

Em cartas, técnicos do Inpe fazem grave denúncia: a instituição está sob operação desmonte por parte do governo Bolsonaro. Dados...

Ministério da Saúde orienta comprar medicamento com sobrepreço

Vem do próprio Ministério da Saúde a diretriz de comprar medicamentos contra a Covid-19 com sobrepreço. Os secretários estaduais...

Centrão e Judiciário tentam esfriar crise entre Gilmar e Forças Armadas, enquanto Bolsonaro se esconde

Jair Bolsonaro se escondeu e preferiu ficar omisso durante a crise entre o ministro do STF, Gilmar Mendes, e as Forças Armadas. Bolsonaro...